"Todo aquele que ler estas explanações, quando tiver certeza do que afirmo, caminhe lado a lado comigo; quando duvidar como eu, investigue comigo; quando reconhecer que foi seu o erro, venha ter comigo; se o erro for meu, chame minha atenção. Assim haveremos de palmilhar juntos o caminho da caridade em direção àquele de quem está dito: Buscai sempre a Sua face."

Agostinho de Hipona

4 de junho de 2009

Homens de corações atrofiados


Minhas impressões sobre a noite de terça feira no CEEDUC, Faculdade Teológica Refidim na semana de Reflexão e Espiritualidade:


Ouvimos comentários de dois colegas que, acertadamente, falaram da falta de iniciativa de alguns negros em se posicionarem na sociedade, lutando por melhores condições de vida. Porém nas suas falas, deixaram transparecer a ideologia atual dominante que é a do capitalismo neoliberal. Sucesso e realização profissional/material como objetivo máximo da vida.

Na corrida pelo sucesso e realização, propagandeados por filmes hollywoodianos como “À procura da felicidade”[1] , produz-se mais excluídos e resolvemos o “nosso” problema e não o problema do próximo.

A competitividade faz-nos cada vez mais egoístas e nos torna propensos a buscar o nosso espaço em detrimento do outro. Estamos inseridos nesse contexto socioeconômico e diga-se de passagem, de alguma forma nos adequamos a ele por conta de nossas responsabilidades como pai de família, sustentador do lar

A comunicação da aluna Rute, responsável pela alfabetização de surdos em Joinville, tocou profundamente em uma das feridas que o triunfalismo e a Teologia da Prosperidade estão produzindo em nossas Igrejas, ou seja, em nós mesmos: Não temos espaço para o diferente! Não gosto de estar perto de pessoas que não tem o mesmo padrão social/intelectual/religioso...que eu!

Não sabemos comungar com ex-presidiários, meretrizes, homossexuais, deficientes físicos, pecadores. Escondemos os defeituosos e continuamos nosso culto "perfeito". Até que Jesus chega na sinagoga e expõe o homem da mão mirrada e o devolve são para a sociedade, para a vida[2]. A revelação maior ali, na verdade, não foi a atrofia da mão, mas a atrofia dos nossos corações diante da necessidade do próximo. Seja qual for a necessidade!

1. Para mais informações acesse: http://br.cinema.yahoo.com/filme/14075/aprocuradafelicidade
2. Conforme Mateus 12.15 - 18

3 comentários:

T.a.t.h.i.a.n.a L.u.c.e.n.a disse...

A Paz do Altíssimo!!

Há um SELO no meu Blog pra você!!

Parabéns pelos artigos!!

=D

www.tathicomvc.blogspot.com

Eliane Jany Barbanti disse...

Olá Mário

Obrigada pela visita ao meu blog e tornar-se meu seguidor.
Parabéns pelo seu blog.
Graça e paz no Senhor.
Um grande abraço.
Eliane

Mario disse...

Voltem sempre Tathiana e Eliane, que possamos fomentar no meio evangélico reflexões e ações dignas de embaixadores do Reino de Deus aqui na terra!

Abraços!