"Todo aquele que ler estas explanações, quando tiver certeza do que afirmo, caminhe lado a lado comigo; quando duvidar como eu, investigue comigo; quando reconhecer que foi seu o erro, venha ter comigo; se o erro for meu, chame minha atenção. Assim haveremos de palmilhar juntos o caminho da caridade em direção àquele de quem está dito: Buscai sempre a Sua face."

Agostinho de Hipona

6 de fevereiro de 2009

“E haverá um só rebanho e um só Pastor”




Quem são as ovelhas?
De quem são as ovelhas?
Quem é o Sumo Pastor?

Essas perguntas podem ser respondidas, lendo sem pressa (pressa, um dos males desse século) o capítulo 10 do evangelho de João.
Jesus veio em primeira mão para as ovelhas perdidas da casa de Israel, mas nesse texto Ele diz que existem outras ovelhas, que não são desse aprisco e é necessário que sejam conduzidas para o Aprisco. Para que ouçam a voz do Pastor. Sabemos pela própria Escritura que essas outras ovelhas são os gentios, enxertados na oliveira. Nós.

Através da voz, reconhecemos pessoas amadas: esposa, pai, mãe. Em noites escuras e chuvosas, a voz de nossos pais, simplesmente, transmitia segurança aos nossos temerosos corações. A voz de nossos pais nos dizendo por onde deveríamos andar, para que não nos machucasse, bastava para que aceitássemos sem questionar o caminho proposto.
A Voz do Pastor nos guia às águas tranqüilas. Mesmo no vale da sombra e da morte, não precisamos temer, porque Ele está conosco.

Existia um jornaleiro (Almeida versão 1819) que era contratado para cuidar das ovelhas. Das ovelhas do Pastor. Mas na aproximação do lobo e dos perigos que cercavam o rebanho, ele tratava de salvar a sua vida (conforme Jo 10. 12) e deixava que o lobo dispersasse e aterrorizasse as ovelhas.

Ele foge porque é assalariado (ver. 13 NVI) e não se importa com a ovelha.

Importa-se com a lã das ovelhas. Por que é dali que vem seu salário.
Importa-se com a função de pastor. Por que isso lhe dá direito de dominação sobre as ovelhas.
Importa-se pelo título de pastor. Pois isso lhe confere status espiritual elevado. Autoridade espiritual sobre as ovelhas.
Importa-se em proteger o lugar onde exerce sua função (púlpito). Por que é dali que ele monopoliza a voz do Sumo Pastor.

Mas existe um rebanho que anseia ouvir a voz do seu Pastor. E o Pastor deixou claro que quer conduzi-las, pois deu Sua vida por elas. As ovelhas ouvirão a voz do Pastor e o seguirão.

E então haverá um só rebanho e um só Pastor.

Um comentário:

Jakson disse...

Nos dias atuais essa passagem tem se perdido no meio daqueles que exercem ou somente pertencem a um grupo de líderes que se denominam PASTOR;
Pastor não machuca,corrige...
Pastor não esquece de nem uma,vai atrás...
Pastor cuida e também é médico,se há feridas ele diferencia a atenção e cuida,trata e só a dispença quando ela puder andar só...
Pastor não discrimina,procura saber o verdadeiro motivo da mudança de hábito antes da repreenção...
Enfim,creio que não existirá pastores perfeitos como nosso ÚNICO PASTOR,mas quem está no controle de um rebanho deve-se mostrar empenho e muitas das vezes até se sentar com a ovelha e passar tempo aprendendo seus hábitos e costumes para saber como mantê-la dentro de sua pastagem sem que ela tenho vontada de sair...